FAN FIC - Forever Me

segunda-feira, 22 de novembro de 2010 0 comentários
Fanfic feita por Ilana [@Filhadeathena]

Capitulo III: A garota da profecia é... EU.

Quando eu estava me virando para sair da sala do sr. C. me viro e pergunto:
-Sr. C., qual seu verdadeiro nome? – tenho que admitir, eu tava super curiosa a esse respeito, pois todo mundo tinha uma grande preocupação de chamá-lo de senhor.
-Ah... Chamo-me Caos. – ele falou com um sorrisinho.
Sinto que perdi uma piada, mas não me deixo intimidar fácil.
-Tipo... Caos, de fazer Caos? –perguntei fazendo uma careta de duvida.
Ele começou a rir, se aproximou de mim e colocou a mão dele no meu ombro.
-Você é uma garota interessante – ele falou entre risinhos – não, eu sou o deus Caos, sou o deus dos ventos entre a atmosfera e a terra, sou o deus-pai dos ventos do oriente e do ocidente.
Minha boca se abriu sem minha permissão – Então... você é um deus? Caramba! Você é o primeiro deus que eu conheço em pessoa.
Nesse momento, algumas lembranças vieram, e eu estava com uns quatro ou cinco anos, mas eu estava me curvando a uma garota de uns doze anos, que tinha a aparência seria, com cabelos ruivos e com uma pele que brilhava como a lua, eu escutei como se fosse uma musica de plano de fundo eu falando: “obrigada minha senhora por sua ajuda” e nesse momento soube, que o Sr. C, não fora o primeiro deus que eu conheci até agora.
O Sr. C. estava olhando para mim, meio que esperando uma reação, eu olhei para ele, e percebi que ele ia me perguntar o que estava havendo, mas nesse momento o Sasukan veio correndo em nossa direção, o Sr. C olhou meio que irritado com ele, mas falou:
-Nakamura, essa linda jovem irá ficar no seu aposento até acharmos um lugar para ela, não, até acharmos o lugar dela.
O Sasukan olhou com puro ódio para o Sr. C., que pareceu nem notar, eu me senti uma intrusa, não queria ficar em um lugar que não era “bem-vinda”.
-Mas... – ia falar o Sasukan.
-Já sei... não quero falar isso de novo, e não estou para lá de contente com você ainda. É melhor não causar mais problemas, estou certo? – ele falou aquilo como, FIM DE PAPO se não te mato.
-Sim, tudo bem senhor, mas... que cama ela ficará? – Sasukan perguntou com cara amarrada.
-Ah... na da sua irmã, ou na sua. Tanto faz, só apenas a acomode bem, talvez eu peça para a Annabeth fazer uma planta para um quarto para ela no acampamento, talvez... ou, talvez você irá gostar muito dela, e irá adotá-la como sua irmã. Apenas, cuide bem dela. – ele falou com um sorrisinho debochado, e novamente não entendi a piada.
-Não creio que isso acontecerá, a Annabeth está com o Percy, a Thalia e o Nico e aquele novato do chalé de Hades, estão apresentando todo o espaço, como eu, sabe? Mas falarei com a Annabeth sobre esse assunto depois. – ele tinha serrado os punhos de tanta raiva. – Vamos... Ilana.

O Sasukan saiu resmungando... “Por que tinham que escolher logo esse deus para cuidar de nós?” e blá blá blá... Ele só parou de falar quando ele falou uma coisa que eu dei uma cortada.
- Como aquele velho do vento era insignificante, ele não pode fazer nada, o deus menor Morfeu, ou até o “deus dorminhoco” Hipnos poderia fazer mais coisa que ele! – ele ficava falando sozinho, mas eu já estava ficando enraivada de tanto ele falar abobrinha e soltei logo:
-Sasukan, óbvio que o Senhor C. pode fazer mais coisa que esses outros deuses ai... sabe por quê? Se você não percebeu, talvez você não, pelo jeito... mas EU preciso do ar para sobreviver, para respirar, então, na minha opinião, esse deus Caos é muita coisa e é muito significante! – dei um sorrisinho ameaçador, ele olhou para mim como se fosse me matar naquele momento, mas acrescentei, pois achava mais prudente da minha parte não fazer inimigos logo agora, e também era noite, poderiam não escutar os meus gritos e principalmente, não queria o Sasukan como inimigo, pois ele parecia ter respeito ali – Essa, é claro, é a MINHA opinião.
-Bom, garota, você é a primeira “novata” – ele falou com ênfase na palavra novata – que me da uma resposta sensata, talvez você não seja tão inútil como eu pensava...
Ele deixou bem claro que: Primeiro, ele não era muito legal com novatos e segundo: ele não estava satisfeito de ser meu “babá”.
Ele saiu marchando de boca fechada pelo resto do caminho, até que eu, curiosa como sempre, vi uma casinha bem escrota cheia de caveiras na porta, toda preta, e com, acho que cinco pessoas dentro, e um garoto gritando com outro e perguntei:
-O que é aquilo? – falei apontando para a casa.
-Não é da sua conta. – ele contra-atacou.
Da casa saiu uma menina com estilo parecido com o meu, com cabelos bagunçados, ela até me lembrava, exceto pelo fato dela ter olhos azul-intenso e está vestida com uma armadura completa; do lado dela, estava um garoto magrelo, com cabelos pretos e olhos pretos, e era branco feito um cadáver, na verdade, eu era branca, ele era sem cor. Eles saíram da casa e vieram em nossa direção e a garota falou:
-Seu retardado japonês, seu dever é apresentar tudo, e responder todas as perguntas dos novatos! – ela veio gritando enquanto se aproximava e estava tirando a armadura, mostrando uma roupa punk muito legal.
-Fica fora disso, Thalia MANDONA Grace! Se você está com pena da garota por ter um guia como eu, por que você não vem no meu lugar? – Falou Sasukan todo autoritário.
-VAI PRO TÁRTARO SEU SASUKAN IDIOTA NAKAMURA! Acho que você seria bem vindo lá! – Falou o garoto magricelo, não acreditava que ele tinha esse tom autoritário também, na hora que ele falou, o ar ficou denso.
-Ahhh... agora ele vai defender a namoradinha... – Provocou Sasukan – É... – ele falou pensativo. – A luta com a sua namoradinha não foi nada emocionante, mas talvez com você, seja mais divertido.
-Que está acontecendo aqui? Nico... você vai matar as árvores, pare já com isso! As ninfas vão reclamar de novo.  – Um garoto com os cabelos pretos e lisos e olho verde como o de Potter, ele lembrava muito o Potter, para falar a verdade, acompanhado de uma garota que parecia ser uma princesinha, com cabelos longos e cacheados e loiros, olhos cinza tempestade, com um ar de seriedade.
-Percy, Annabeth... – falou o Sasukan, que abaixou seu tom de voz.
-Olá, Sasukan, causando problemas de novo? – Perguntou a garota chamada Annabeth, ela parecia ter uns dezenove anos, já era bem adulta, e o Percy também parecia ter essa idade, já o Nico e a Thalia, parecia ter a idade do Sasukan.
-Hum... se a Thalia não fosse tão intrometida, talvez eu e a Ila... essa garota, não estivéssemos mais aqui. – Não entendi o por quê, mas ele não quis falar o meu nome.
Annabeth imediatamente perdeu a cor, todo mundo ficou em silencio e olhando para mim, Percy arregalou os olhos, Nico arregalou os olhos e fez o ar ficar ainda mais denso, eu acho que era poder dele isso, já que o Percy tinha reclamando. Annabeth correu em direção a casa estranha gritando:
-Murilooooooo... Me empresta seu celular!!
Tudo estava silencioso, até que a Thalia falou:
-Gostei de você, pelo menos você é punk... achava que você seria patty, já que obviamente conhecia a Sakura – ela fez um símbolo com os três dedos no coração e arrancando, uma coisa assim – Desculpe Sask... é só que...
-JÁ CHEGA!! – ele começou a falar alguns palavrões básicos – Da para você não mencioná-la? Já é bem chato o fato de vocês acabarem meu dia com suas presenças, e ainda falar besteira? Da para parar? Ou fica difícil? – o Sasukan estava transtornado.
-Sasukan... o que está acontecendo? – Eu tinha que perguntar, já estava ficando assustada.
Nesse momento Lucky desceu da árvore com um salto e disse:
-Nada querida... Vamos, vou levá-la ao seu cantinho, o Sasukan deve ter algo para conversar com a Annabeth a respeito da profecia. – ele fitou um olhar de advertência para todos, e apesar de achar todos ali mais veterano que Sasukan, parecia que o Lucky era o mais respeitado, pelo que eu percebia, pois até Annabeth que vinha correndo para se juntar a nós, falou:
-Como sempre... chega na hora certa, só você mesmo Lucky, obrigada! E pessoal, temos que juntar o conselho agora, pois acabei de falar com a Rachel, ela já está a caminho...
-Falar sobre que profecia? Porque aquelas duas ultimas, foi de arrepiar... – disse Percy.
Um garoto parecido com o Nico, só que parecia mais velho, não mais experiente, mas, mais velho se juntou a nós e falou:
-A Rachel acabou de ligar novamente, e mandou dizer para você – ele estava falando com Annabeth – que é sobre a ultima profecia, a incompleta, que ela acabou de completar e que quebrasse logo o celular para não causar problemas para ela de novo.
-Oh, oh... – falou Annabeth.
-A qual é pessoal! Já passamos por muita coisa, o que de tão mal pode ter nessa profecia? – Falou a Thalia toda cheia de si.
Sasukan que estava imóvel ao meu lado falou:
-Acho que vamos descobrir agora, o portão está se abrindo.
O Lucky resolveu me levar com aqueles garotos para encontrar a Rachel, seja lá quem ela era, porque achava que eu precisava estar lá.
Andamos na floresta escura, deveria ser nove horas, pois já estava tudo esquisito; nessa hora, percebi que estava com fome, pois meu estomago roncou alto, e apesar do clima está tenso por causa dessa profecia inacabada que acabou de ser completada, todos riram de mim, que fez com que eu quisesse que um buraco se abrisse e me engolisse. Chegamos ao, eu acho que refeitório, pois tinha várias mesas de piquenique. Quem estava lá era o Sr. C. e uma garota ruiva, magrela, e branca, deveria ter uns dezenove anos também; sua calça jeans estava toda riscada e sua camisa parecia uma obra prima (talvez dela mesma).
O Sr. C. (acho que para descontrair), disse que se ficássemos quietos, ele abriria uma exceção e traria comida, pois de acordo com ele, escutou um trovão. Esse fato fez eu querer ser engolida por um buraco de novo, e ficar mais vermelha do que o esmalte que as unhas de Thalia estava pintada.
Enquanto o Sr. C. foi preparando a mesa, Annabeth foi puxando a Rachel para o lado, afastado de tudo, e foram conversar, Sasukan ficou encostado na parede, Lucky estava ao meu lado apontando e falando sobre o meu novo lar, me mostrando a arena, o lago de canoagem, a pista para a corrida de bigas, a parede de escalada (que não dava para ver direito porque era distante, mas dava para ver algo laranja escorrendo na parede de escalada, seria... larva?) Me mostrou a casa grande, que os campistas mais jovens ficavam, pois era perigoso para eles ficarem na floresta com os seus “irmãos”. O Nico se juntou ao Percy e ficaram conversando sobre espadas, fazendo Thalia ficar batendo o pé, até que se cansou e se juntou a mim e a Lucky na conversa, ela ficou falando da sua história, que é muito interessante (depois eu conto, pois ela ainda não me contou direito), enquanto o Sr. C. preparava o banquete, a mesa já estava pronta, e ele agora estava estralando os dedos e as comidas apareciam na mesa, minha barriga estava roncando. Quando a mesa estava totalmente pronta, ao lado da mesa, apareceu uma fogueira, e uma garotinha mexendo no fogo, ao vê-la imediatamente vi a deusa garota da minha lembrança, a que eu tinha me curvado, mas vendo essa garotinha do fogo, percebi que ela não tinha um brilho prateado ao redor dela. O Sr. C. me apresentou a ela, ela era a deusa Héstia, deusa do lar, da lareira; seus olhos eram como o fogo, e ao me aproximar ela sorriu para mim, me disse que era para colocar um pouco de comida par algum deus como oferenda, e eu ofereci a deusa que eu tinha na minha lembrança, não sabia qual era, mas acho que ela recebeu.
Todos nos sentamos à mesa, e vamos dizer, os garotos atacaram (acho que eles não tinham jantado) e nós beliscamos, bem, eu e a garota ruiva chamada Rachel comemos, mas a Thalia e a Annabeth só beliscaram.
Jantamos, e pelo menos nesse momento, esquecemos a “profecia”. Quando terminamos de jantar, o Percy, o Nico, o Sasukan e o Lucky foram chamar as pessoas que faziam parte do conselho, enquanto o Sr. C. sumia com os alimentos, para ninguém saber.
Sentamos no chão, eu, Rachel, Thalia e Annabeth.
Eu estava super curiosa para saber tudo sobre a história da Thalia. Annabeth, pelo jeito, já sabia e foi desenhar umas construções bem legais com alguns pitacos da Rachel, que ela disse que são os templos que ela está planejando colocar no acampamento, mas ela ainda tem que falar com o Quíron e com o Sr. D. que ela explicou que, o Quíron era um centauro, que era nosso treinador e diretor de atividades, mas ele estava no Olimpo com o sr. D, que era o nosso diretor, por castigo, ele era o deus do vinho, Dionísio, e me contou porque falara “por castigo”.
Mas, o que eu estava mesmo curiosa, era sobre a história da Thalia, o que fez Annabeth e Rachel voltar a desenhar e a Thalia começar a me falar:
-Sabe... eu era uma Caçadora, servia a deusa Ártemis, você sabe o que precisa para ser caçadora, não é? – ela perguntou para mim.
-Hum... – foi só o que eu disse.
-Bem... você tem que se comprometer a ela, nunca namorar, nunca casar, ser sempre virgem, não andar na companhia de homens e por ai vai... Tudo isso em troca da imortalidade.
-Ah... mas você namora o Nico, não é? Como...? – eu perguntei, essa história era bem complicada pelo jeito.
-Eu fui a uma missão com o Percy e o Nico, uma missão para a deusa da primavera, a Perséfone, a ex-esposa de Hades. E a partir daí, fiquei mais próxima do Nico, depois, salvamos o Olimpo, depois, voltei por algum tempo para o acampamento, e bem... nos apaixonamos, apesar de está louca pelo Nico, tentei evitar, mas mesmo assim, quebrei o juramento. Por um tempo, fugi da deusa Ártemis, até que ela me encontrou e conversamos, uma outra ex-Caçadora também tinha quebrado o juramento, então foi como uma reunião, e eu voltei para o chalé 1: Zeus.
Eu estava abismada, mas falei:
-Essa foi a melhor história que eu já escutei! – Fiz uma voz infantil
Thalia começou a rir e eu a acompanhei.
Os garotos chegaram com mais alguns campistas, uma garota musculosa, de cabelo ruivo no ombro e uma camisa vermelha que dizia: Líder do Chalé de Ares. Um garoto de cabelos pretos, (que eu acho que era o namorado dela, pois estavam de mãos dadas), que era tão alto e mais musculoso que a garota, vestia uma camisa verde que dizia: Líder do Chalé de Hermes, uma garota loira de camisa rosa que dizia: Líder do Chalé de Afrodite, Lucky estava vestido com uma camisa laranja que dizia: Líder do Chalé de Apolo, o Percy estava com uma camisa azul que dizia: Líder do Chalé de Poseidon, Annabeth estava vestindo uma camisa branca que dizia: Líder do Chalé de Athena, Thalia vestindo uma camisa azul-marinho que estava escrito: Líder do Chalé de Zeus, Nico estava vestido com uma blusa que dizia: Conselho sênior da toca de Hades, acho que significava a mesma coisa, o Sasukan vestiu, sem ninguém perceber, uma camisa que dizia algo que eu não sei (era em japonês), e por ultimo, uma garota de cabelos pretos com uma blusa roxa que dizia: Líder do Chalé de Dionísio. Annabeth se apressou em falar, largando seu livro:
-Essa é a Ilana, a garota, que como todo mundo do conselho sabe, é a garota da profecia, para falar correto, da profecia inacabada, que agora conseguiu terminar. E, Ilana, esses são: Clarisse, chalé de Ares (deus da guerra); Chris, chalé de Hermes (deus dos viajantes, ladrões, mensageiros, etc...); Géssica, chalé de Afrodite (deusa da beleza e do amor); Lucky você já conhece, agora conhece seu pai, Apolo (deus do sol, da musica, das profecias); Percy, você também já conhece, filho de Poseidon (deus dos mares, terremotos...); eu que sou filha de Athena (deusa da sabedoria e da guerra justa); Thalia, a única do chalé de Zeus (deus do céu e dos deuses); Nico do chalé de Hades (deus do mundo inferior); Sasukan, que é o ninja do grupo, e a Jéssica, filha do diretor do acampamento, Dionísio (deus do vinho, da loucura, das festas). Rachel... a palavra agora é sua.
-Bem... e assim vamos começar nossa reunião. Assunto: a garota da ultima profecia.
E assim... com esse lema feliz, começou minha primeira reunião, com o assunto chamado... a garota da profecia, Ilana. Que é claro, por alguma conhecidência, tinha que ser... EU!

amanha cap. 4

0 comentários:

Postar um comentário

 

©Copyright 2011 Cabeças de Alga MS | TNB