Mitologia diaria : Centauros

segunda-feira, 8 de novembro de 2010 2 comentários

Mitologia Grega
Os centauros são criaturas representadas como sendo parte humana e parte cavalo: Aonde haveria o pescoço do cavalo, brota um tronco humano. Há muitas possíveis origens para a lenda e muitos estudiosos crêem que as histórias sobre centauros tenham surgido devido ao contato entre tribo que não sabiam cavalgar com outras que já dominavam esta técnica, sendo que as primeiras confundiam-se com a visão de homens montados (alguns dizem que os astecas tiveram a mesma impressão dos espanhóis em seus cavalos). O centauro é também o símbolo do signo do zodíaco sagitário.
Estão envoltos em diversos dos mitos gregos, geralmente com antagonistas. Um dos acontecimentos mais famosos envolvendo os centauros é a centauromaquia tessaliana, confronto entre os centauros e os Lápitas, antigo povo da Tessália. Os centauros haviam sido convidados para o casamento de Pirítoo, mas desacostumados ao vinho, começaram a se tornar violentos e tentar atacar as mulheres lápitas. Uma grande batalha ocorreu e os centauros foram derrotados.

CentaurosOs centauros também foram adversários de Hércules muitas vezes, sendo que um dos centauros, Nesso, que foi a causa da morte do herói. Nesso tentou seqüestrar Dejanira, esposa de Hércules, e foi morto pelo herói. Antes de morrer Nesso convenceu Dejanira e levar um pouco de seu sangue, que deveria ser aplicado a uma túnica para Hércules, para que esse voltasse a amá-la, caso um dia ele se desinteressasse. Quando Dejanira um dia o fez, a túnica com o sangue envenenado matou o filho de Zeus.
Porém nem todos os centauros eram bárbaros primitivos, sendo que um dos mais notáveis dentre eles foi Quíron. Um centauro versado em muitas artes, principalmente na medicina e grande professor, foi o tutor de heróis como Jasão, Aquiles e o próprio Hércules

Quíron

O centauro Quíron (gr. Χείρων), meio homem e meio cavalo, era filho do titã Cronos e de Fílira, uma das oceânides. Crono uniu-se a Fílira na forma de um cavalo, daí a forma híbrida do filho. Quíron não tinha a natureza selvagem dos outros centauros, filhos de Íxion e da nuvem; ele era, na verdade, o mais sábio e o mais justo dos centauros  Apesar de ser meio-irmão de Zeus, Posídon e Hades, vivia entre os mortais, em numa gruta do monte Pélion, na Tessália. Os conhecimentos médicos foram transmitidos aos mortais por seu intermédio.
Grande caçador, conhecedor de música, de plantas medicinais, de cirurgia e de outros conhecimentos práticos prezados pelos antigos, Quíron era amigo dos heróis Peleu, a quem salvou certa vez da fúria dos outros centauros, e de Héracles. Foi o educador de vários outros heróis, entre eles Aristeu e seu filho Acteon, Aquiles, filho de Peleu, Asclépio, filho de Apolo, e Jasão, o futuro líder dos argonautas. Pode-se dizer que ele é o mais antigo professor da mitologia grega.
Consta que era casado com Caricló, possivelmente uma oceânide. Os principais mitos de que participa, além de suas atividades de professor, são o do casamento de Peleu e Tétis, o da visita dos argonautas (A.R. 1.554), e o da sua "morte".

O mito de seu desaparecimento ou morte é muito interessante. Quíron foi atingido acidentalmente por uma flecha de Héracles, durante uma de suas escaramuças contra os outros centauros, ou especificamente na ocasião da visita do herói a Folo. A flecha, embebida no veneno da Hidra de Lerna, produzia feridas incuráveis, e o centauro sofria dores horríveis, que nem seus conhecimentos médicos eram capazes de mitigar[1]. Desesperado, Quíron renunciou então à sua imortalidade, conseguiu morrer e escapou do terrível sofrimento. Zeus colocou-o, então, entre as constelações

2 comentários:

Postar um comentário

 

©Copyright 2011 Cabeças de Alga MS | TNB