Mitologia diaria

quinta-feira, 28 de julho de 2011 2 comentários
Aqui é o carlos denovo e vou postar a primeira metade da batalha dos titãs e espero que gostem e comentem (:


Batalha dos titãs parte I
Não há crônica, antiga ou moderna, que refira de maneira exata todos os feitos e lances
heróicos desta que foi a verdadeira primeira guerra mundial. Ela é demasiado antiga e perde-se na noite dos tempos. Só podemos nos basear no que dela referiram alguns comentadores tardios,
como Hesíodo.
Ainda assim, ela houve: os sinais, por tudo, são demais evidentes. A própria geologia comprova que as extintas divindades de outrora -personificações,talvez, dos elementos em estado caótico — se engalfinharam um dia numa luta impiedosa,revolvendo no embate o Céu, a Terra e os mares.
Esta guerra teve inicio com a pretensão de um filho rebelde,chamado Zeus, sobre o poder supremo que estava nas mãos de uma divindade cruel,chamada Cronos...
Mas você se pergunta quem foram as partes desse gigantesco embate?
De um lado estavam, liderados por Cronos, seus irmãos os Titãs(filhos da terra).E do outro estava Zeus o filho insubmisso, e seus irmãos Hades,Poseidon,Hera,Héstia e Demeter, além de alguns reforços titânicos que se aliaram a causa rebelde, tais como Oceano, e o filho de Japeto, Prometeu.
Os deuses da segunda gereção, liderados por Zeus, foram tramar seu ataque no monte Olimpo(por isso são chamados deuses olimpicos ou olimpianos),enquanto os Titãs abrigados no Monte Otrís foram tramar sua defesa.
Num dia incerto, que nenhum cálculo humano pode aproximar, deu-se o primeiro lance desta refrega colossal, que os anais bélicos da humanidade batizaram de Titanomaquia (ou"Guerra dos Titãs"). Uma imensa massa negra de nuvens destacou-se dos limites extremos do Olimpo e começou a marchar, num estrondo feroz de carros de guerra que rondam pelos céus. O empíreo escureceu de tal forma que o Caos parecia haver gerado de seu ventre uma segunda Noite, ainda mais negra e tétrica do que a primeira.
De dentro desta montanha alada, da cor do ferro, partiam raios tão ofuscantes(novidade horripilante inventada pelos Ciclopes, aliados de Zeus, que este libertara do Tártaro), que por
alguns instantes brevíssimos não havia em todo o Universo a menor parcela de escuridão. Mas
logo o negror da noite tombava outra vez sobre a Terra, e a alma de tudo quanto vivia, oprimida por indizível pavor.

2 comentários:

Postar um comentário

 

©Copyright 2011 Cabeças de Alga MS | TNB