CAP 2 : Minha Chegada.‏

terça-feira, 29 de novembro de 2011 0 comentários

Acordei pouco antes de chegar. A viagem não demorou muito, mas entramos numa trilha que dava para ver o estreito de Logn Island. Paramos no topo de uma colina, ela tinha um pinheiro que tinha uns entulhos mais por incrível que parece não estava coberto de neve, olhei para os galhos e vi uma pele de carneiro, coisa mais estranha que parecia um velocino de ouro de uma história da mitologia grega. Olhei colina abaixo, avistei alguns chalés, um era cor de rosa, parecia a casa dos sonhos da Barbie, um tinha um javali em cima da porta, outro uma caveira, e tinha três chalés maiores um com um raio, outro com umas ondas e um tridente e o outro era todo fechado, e tinham campistas por todos os lados. Descemos e seguimos para uma casa no meio do campo, lá estava sentado na cadeira de rodas meu ex-professor de mitologia grega, não lembro seu nome. Ele me olhou e vi que não se esquecera de mim. Perguntei a Peter:

- De onde você o conhece? É a muito tempo? Pois não me lembro de você estudar comigo ano passado.

- É, eu conheço ele, e você vai entender o por quer.

- Como assim? – perguntei confusa.

- Esqueça, vamos ele esta a sua espera. – disse Peter com um sorriso no rosto, como se ele esperasse por isso.

- A minha espera? – perguntei.

- Sim. - ele respondeu e foi subindo as escadas que davam na varanda, onde estava o meu ex-professor.

- Olá querida Helena Carter! Como vai você? – perguntou ele.

- Vou mais ou menos – disse pensando se era preciso falar sobre o que acabara de acontecer.

Ele me olhou como se lê-se meus pensamentos, e disse:

- Eu sei que está sendo difícil, e vai ser mais difícil ainda quando você descobrir quem é seu pai.

- Grande consolo, mais, que você sabe sobre meu pai? Como você sabe quem é meu pai? – perguntei confusa.

- Eu não sem quem é seu pai, mais quando descobrirmos quem ele é, saberei lhe dizer. – disse ele.

- Como vou saber quem é meu pai? – perguntei.

- Espero que ele tenha atitude de lhe reclamar como filha, hoje anoite na fogueira. – disse ele.

- Afinal, qual é seu nome mesmo? – preguntei, pois não me lembrava.

- Quíron – disse ele.

- Quíron? Nossa! É em homenagem ao instrutor de Aquiles, da mitologia grega? – perguntei num tom irônico.

- O próprio – disse ele – Peter ainda não deve ter lhe contado pare não assusta-la, mais, percebi que você sabe um pouco sobre mitologia grega, certo?

- Certo, sempre gostei de mitologia grega e romana, minha mãe sempre me incentivou a ler sobre isso, porém, não sei o motivo, mais o que ele não me contou, para não me assustar? – disse eu.

- Nada demais. Bem minha querida, - disse Quíron – conte-me tudo o que você sabe sobre mitologia grega!

- O.K. – disse eu.

Ficamos conversando horas sobre o que eu sabia, e Quíron as vezes acrescentava algo em algumas coisa que eu falava, quanto mais eu falava sobre mitologia mais aquele lugar me parecia familiar, quanto mais eu pensava em todas aquelas coisa, mas parecia que um dia estive naquele lugar, mas quando comecei a falar de Poseidon, foi me dando uma angustia tão grande, que acho que lágrimas escorriam no meu rosto, não sabia o motivo, mas parece que quanto mais eu falava sobre ele mas lagrimas escorriam, até que chegou o momento em que Quíron franzi-o o testa e disse:

- Nossa você sabe praticamente tudo sobre mitologia grega, pensei que saberia demais, aponte de descobrir... – então ele se calou.

- Descobrir o quê? – perguntei.

- Descobrir que tudo isso é verdade. – disse ele, com um sorriso forçado no rosto.

- Você tem um senso de humor muito bom! Você esta me dizendo que tudo isso que falei é verdade? Que esses deuses que estudei durante parte de toda a minha vida, é verdade? – perguntei.

- É a mais pura verdade! – disse ele.

- Só pode ser piada! E a parte em que eles vinham a terra e faziam filhos com humanos, também é verdade? Esses chalés ai fora são dos filhos desses deuses? Isso é um acampamento Meio-Sangue? Eu sou uma semideusa? É isso? – perguntei aflita, a ponto de chorar mais ainda, mas segurei as lagrimas.

- Sim querida! Tudo isso é verdade. Aqui existem sátiros, dríades, náiades, semideuses, e até o deus do vinho! – disse ele – eu sei como deve ser difícil para você, como você deve estar se sentindo.

- Eu não posso acreditar, porque minha mãe nunca me disse nada? – perguntei.

- Ela sabia que se você soubesse correria perigo. Vocês semideus, são como alimentos para muitos monstros, eles sentem o cheiro do seu sangue a quilômetros de distancia, e ela sempre quis proteger você. – desse Quíron.

- Então, quando ela disse para mim vim e ficar aqui, era para o meu bem? – perguntei.

- Sim, quando Peter chagou a sua casa dizendo que você tinha que vim para o acampamento sua mãe estava preparada para entender, - disse ele - ela sabe quem é seu pai, e você veio para o acampamento por que se você ficasse com sua mãe, as duas estariam correndo perigo.

- Então eu sou um perigo? Uma ameaça?

- Não, creio que para nós, você será uma grande heroína.

- Heroína? Se nem sei quem é meu pai? Quando vou saber quem ele é?

- Espero que hoje anoite, no pavilhão de refeições, agora venha. Vou lhe amostrar o acampamento.

0 comentários:

Postar um comentário

 

©Copyright 2011 Cabeças de Alga MS | TNB