O passado é bem real – O Trono de Fogo, de Rick Riordan [R7]

sábado, 12 de novembro de 2011 0 comentários
O Trono de Fogo, de Rick Riordan, alia a história egípcia à tecnologia moderna para salvar um deus aposentado.
Aventura, magia, inimigos do mal e aliados estranhos permeiam a trajetória de um garoto, que lidera seu grupo de feiticeiros em busca de uma solução para derrotar um mago do mal cujo objetivo principal é estabelecer o caos e a desordem no mundo dos mortais. Um leitor desavisado logo pensaria no bruxo Harry Potter, mas esse universo também pertence ao livro O Trono de Fogo, de Rick Riordan, autor de saga de Percy Jackson e os Olimpianos.
A obra é a sequência da transcrição de uma gravação de áudio fictícia iniciada emA Pirâmide Vermelha, primeira série de aventuras dos irmãos Carter e Sadie Kane com deuses do antigo mundo egípcio. Com a ajuda de algumas entidades de mais de dois mil anos de idade, os jovens unem forças para despertar o deus sol Rá e lutam para evitar a libertação de uma serpente do mal chamada Apófis, que está aprisionada no Duat, uma espécie de submundo.
Apesar da forte relação com o passado, os adolescentes, descendentes do deus Osíris, pertencem ao mundo real, com iPods, iPads e Blackberries, e vivem suas aventuras em locais verídicos, como a Waterloo Bridge, em Londres. Mesmo com essa dose de realismo, o universo fantástico predomina na narrativa, e grande parte dela é desenvolvida na Casa do Brooklyn, centro de treinamento no qual Carter e Sadie são professores, instruindo alguns aprendizes como Jaz e Walt, que assumem um papel secundário porém útil na história.
livro 1 O passado é bem real   <i>O Trono de Fogo</i>, de Rick Riordan
Antes de desenvolver as aventuras em O Trono de Fogo, o autor tem o bom senso de situar o leitor em que ponto a narrativa do livro anterior parou, apresentando as personagens e explicando detalhes importantes para o entendimento dos fatos. O modo pelo qual Riordan descreve os protagonistas aproxima os adolescentes, público-alvo, da obra. Sadie é uma menina de 13 anos que pinta o cabelo de roxo, veste jeans surrados e coturnos e vive todos os dramas de uma garota dessa idade em relação a rapazes. Já Carter é um ano mais velho, tem um curioso interesse por história egípcia e se mostra capaz de fazer tudo por um amor improvável com Zia, uma deusa menor.
Para atingir seu objetivo principal, a dupla precisa passar por diversos desafios de provação para resgatar as três partes de um papiro intitulado Livro de Rá, único modo de despertar o rei divino e evitar a destruição do mundo. Entre os inimigos, estão bas, uma espécie de alma penada, uraeris, cobras aladas que cospem fogo, e o temível Vladimir Menshikov e seu exército, que pretende despertar Apófis, a serpente do mal, de sua prisão no Duat.
O texto alterna momentos de ação e calmaria sem perder o bom humor das situações e problemas típicos de adolescentes. O excesso de nomes de deuses, monstros, hieróglifos e símbolos poderia transformar a obra em um festival de bizarrices, o que não acontece - Riordan consegue, com sucesso, introduzir as explicações necessárias através das personagens, em decorrência das aventuras apresentadas no livro, nunca sem um propósito estabelecido.
No geral, O Trono de Fogo concilia momentos completamente opostos sem perder a linearidade da narrativa e a consistência da linguagem, que permanece leve e bem humorada ao longo de toda a obra. É o livro ideal para quem gosta de viajar por um mundo de fantasia sem perder contato com a realidade.

0 comentários:

Postar um comentário

 

©Copyright 2011 Cabeças de Alga MS | TNB